A Garota no Trem – Paula Hawkins

Oi, pessoas!
Eu estava meio que querendo ler esse livro porque todo mundo estava lendo. Mas não sabia bem do que se tratava. Eis que assisti, bem sem querer, o trailler do filme e fiquei tipo: PRECISO LER O LIVRO! O filme ainda não assisti.

Orelhas do Livro

“Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Janson –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida.

Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos. Uma narrativa extremamente inteligente e repleta de reviravoltas, A garota no trem é um thriller digno de Hitchcock a ser compulsivamente devorado.”

img_20161113_123641

Minhas Impressões

Moleque! HAHAHAHAHA Eu comecei a ler e fiquei meio cconfusa. Sério. Achei que a história seria toda contada por Rachel – a garota no trem – mas não. Tinha mais duas narradoras. Estranho. No final do livro fez TODO o sentido essa escolha e eu tenho mesmo que aplaudir a Paula Hawkins. Essa é uma história de crime. De assassinato. De amor. De loucura. De doença. De agressão. É um livro atemporal, so far, porque aborda um tema muito recorrente na nossa sociedade e que especialmente, nós mulheres, acabamos por nos interessar mais. Seja porque já termos passado por algum relacionamento abusivo ou por conhecer alguém nessa situação. [Adendo: Lembre-se sempre: “Ele não te bate mas” Relacionamento abusivo não tem a ver apenas com violência física, ok?]

Ao desenrolar da história novos suspeitos aparecem e Rachel, que acreditava que não tinha qualquer relação com a garota desaparecida, percebe que ela pode estar diretamente envolvida. O livro tem poucos personagens, o que eu acho bom. Você acaba tentando entrar na mente de deles e entender o que eles estão escondendo. Eu recomendo DEMAIS! Acredito que o filme seja muito bom também, até porque esse tipo de livro não tem como fugir muito.

Beijos!

Autor(a): Paula Hawkins
Páginas: 378
Ano: 2015
Editora: Record
Avaliação:

Deixe uma resposta