Eleanor & Park – Rainbow Rowell

Ain, quanto amor nesse livro! De verdade!

Aba do Livro
“Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Minhas Impressões

Sinceramente? Nem sei o que falar. Eu terminei de ler ontem a noite (31/05) e ainda estou meio chorosa. A história é linda e fantástica e claro meio fudida também! A Eleonor é super ruiva e sardenta, o que pode ser super apreciado por homens adultos héteros, mas em geral causa bullying na infância. Para ajudar ela usa roupas estranhas e está acima do peso, ou seja, um alvo fácil na escola nova. A família dela é super desestruturada, a mãe está casada com um babaca (por motivos) e o pai de Eleanor está pouco se lixando.

Por outro lado, o Park tem uma senhora família ideal. Os pais de amam loucamente e ele por sua vez chama muita atenção das meninas, apesar de achar que não pelo fato de ser mestiço (mãe coreana, pai americano). Mas pasmem, a questão nem é essa. Tudo ocorre lá na década de oitenta, mas poderia ser ontem, ia ser do mesmo jeito. Acho que isso que me encantou mais, não estava esperando por Agosto de 1978, porém é tão ontem que nem senti diferença.

Eles se conhecem no ônibus da escola de uma forma meio constrangedora e antes mesmo que percebam estão apaixonados um pelo outro. Olha, eu vou ser honesta e afirmar que não acredito em amor a primeira vista e que é necessário uma convivência para que um ser em vão se torne a sua pessoa favorita. No caso deste livro, não foi um amor a primeira vista, mas eles se amaram mesmo antes de se conhecerem o suficiente.

É aquele amor que todo mundo já teve – eu pelo menos da minha parte exclusiva, RISOS – no qual a pessoa é maravilhosa por que sim, e tudo o que ela faz te encanta mesmo sem explicação. Sou meio Park, boba e retardada. Não sei se teria toda a coragem mas é tão lindo que dá vontade de se apaixonar instantaneamente por alguém só pra poder compartilhar a mesma sensação que eles.

A Eleanor é meio desacreditada do tipo “o que esse querido tá fazendo namorando comigo?”. O Park é o tipo de cara que todas nós mulheres iludidas queremos, que nos ache fantásticas mesmo quando nos achamos o ser mais pavoroso do mundo. Um cara que não tem problemas em dizer o que sente, mesmo quando não ouve o que quer. Ele literalmente enfrenta um mundo de aparências da adolescência por ela e isso é bastante coisa quando se tem dezesseis anos.

O final é triste? SIM! Mas vale a pena totalmente a leitura. E sendo honesta é o tipo de final que eu adoro. Porque a porra da minha vida não é perfeita, então quero ler livros que não sejam perfeitos. Claro que jamais sofri as merdas que ela passa, graças a Deus. Mas acho que contos de fadas perfeitos às vezes mudam a nossa perspectiva de vida, sei lá, estou meio na bad.

Pessoas leiam, chorem, se apaixonem! É isso.

Minha edição é da foto. :* Compre a sua no Submarino, aqui.

Autor(a): Rainbow Rowell
Páginas: 328
Ano: 2014
Editora: Novo Século
Avaliação: