The Rewrite

Oi, gente! Tô meio que só falando de filmes agora, né? É que minhas séries estão no meio da temporada, na verdade tem uma que já acabou, mas foco! Eu vi esse filme no Netflix e só escolhi por causa do Hugh Grant. E um pouquinho também porque tem relação com escrever e aí é coisa minha… <3

Sinopse: “Há 15 anos, o roteirista Keith Michaels estava no topo do mundo, com um Globo de Ouro, um filme de sucesso, um casamento feliz e um filho. Agora, ele está divorciado, chegando aos 50 anos e, sem escrever um roteiro de sucesso há muito tempo, está praticamente sem grana. Quando ele se muda para o interior da Inglaterra, conhece Holly e aprende que precisa mesmo é reescrever sua própria história.”

Questão é que surge a possibilidade de Keith dar aulas de criação de roteiro em uma Universidade, meu sonho! Tanto assistir essa aula quando dar esse aula, né? O emprego é ótimo, vem com casa e tudo! Não dou uma sorte dessas, mas é óbvio que ele não gosta nada. No começo ele faz as coisas muito cagadas e acha que está fazendo um favor para todo mundo, ma acaba caindo na real e vendo o verdadeiro potencial dos alunos. Tem um romacezinho clichê porque é filme com o Hugh Grant, né? Meu sonho continua sendo passar uns dias em Notting Hill. HAHAHAHAHA

É um filme leve e super vale a pena assistir quando não souber o que assistir e quiser alguma coisa tranquila e para ver com qualquer pessoa. 🙂 O nome em português é Virando a página procurem lá na Netflix, na confiança ou depois de assistir o trailer!

Beijos!

The Shallows – Águas Rasas

Eu que estou sempre só falando de séries, venho hoje trazer um filme muito foda de recomendação para vocês assistirem!

Este filme é de 2016 e tem cara de monológo porque a maior parte do filme ficamos só olhando para cara da linda Blake Lively, que mesmo a beira da morte é mais bonita que a gente, triste, né? A eterna Serena de Gossip Girl, vem como uma surfista que está à procura de uma praia, no México, onde sua mãe descobriu que estava grávida. Durante o filme descobrimos um pouco sobre a vida da personagem, que perdeu a mãe para um câncer e acabou largando a faculdade de medicina para espairecer.

Sinopse do Adoro Cinema:

“Nancy (Blake Lively) é uma jovem médica que está tendo de lidar com a recente perda da mãe. Seguindo uma dica sua, ela vai surfar em uma paradisíaca praia isolada, onde acaba sendo atacada por um enorme tubarão. Desesperada e ferida, ela consegue se proteger temporariamente em um recife de corais, mas precisa encontrar logo uma maneira de sair da água.”

Eu fiquei sabendo do filme porque sigo a Blake nas redes sociais e ela super divulgou ele ano passado. Mas acabou que eu só assisti por agora.

Gente, o filme é realmente muito bom. Eu sou chata para filme porque em geral perco o interesse, mas eu gostei mesmo. Tem várias cenas que dá aflição e você realmente se conecta com a personagem. Eu não sou muito fã de filmes que focam em uma pessoa só porque em geral eu fico entediada, mas eu não pisquei um momento. Recomendo para todos, mas se você tem medo de tubarão ou e impressiona fácil, talvez seja melhor assistir outra coisa. No mais, mantenha seus membros em cima da cama ou do sofá e seja feliz!

The Circle – o filme

Oi, pessoas, tudo bão?

Então, eu assisto muitos filmes! Mas dificilmente falo sobre eles por motivos dê: preguiça! Na verdade, eu acabo só comentando os que eu acho mais interessantes mesmo. Eu fiquei muito querendo assistir esse filme e não tem nada a ver com a Emma Watson. Eu adoro ela, claro, mas me interessei mais pela sinopse do filme. Segue o trailer para você entender melhor.

Pelo o que eu entendi do objetivo do filme, eles juntaram a política empresarial do Google com uma rede social tipo o Facebook. Ou alguma coisa parecida com isso, rs. O filme é bem legal e mostra a dominancia dessas empresas nas nossas vidas. O quanto a relação bacana com a social media é importante e passa a ser relevante em vários aspectos das nossas vidas. Também mostra de  maneira preocupante, para mim pelo menos, como estamos expostos e o quanto qualquer um pode saber de nossas vidas e que temos privacidade mínima. Apesar de ser utilizadora master das redes sociais – eu quase não posto mas estou sempre lá, julgando, rs! – eu realmente sei como elas são prejudiciais. É muito bacana termos contato com tanta gente e saber o que eles andam fazendo e como estão, mas muitas vezes isso acaba trazendo outros problemas.

O filme apresenta tecnologias que ainda não temos, pelo menos não tenho conhecimento, mas que não estão tão distantes assim da nossa realidade. Outro ponto abordado é que a mesma tecnologia que aproxima distancia e que qualquer fanatismo é problemático. Até aí, o filme que conta com Tom Hanks (não, ele não sofreu nenhum acidente e btw você já está sabendo da aventura nova de Robert Langdon?) estava indo por um caminho ótimo e eu estava esperando a reviravolta com todas as forças. Daí, ela pseudo veio e o filme acabou. Não entendi nada! Não vou contar o final por motivos, mas não foi nada do que eu estava esperando e não foi uma surpresa boa, não mesmo!

Assistiu? Vem me contar o que você achou.

Feed, o filme

Essa semana finalmente eu vi Feed, o filme escrito e dirigido pela linda Troian Belisario (Olívia) . Eu conheci o trabalho da Troian como atriz na série Pretty Little Liars. Mas fico sempre chocada quando vejo coisas que ela dirige, meu Deus que talento!

Alguns meses atrás fiquei sabendo sobre o filme Feed e me interessei apenas por ser um trabalho da atriz. Divide a cena de forma maestrosa com ela o ator, Tom Felton (Mattew) – o Draco mesmo, rs. No filme eles são irmãos gêmeos e após um acidente de carro, Matt morre.  A partir daí Olívia começa a ter visões do irmão e vivência um disturbio alimentar sério.

Cabe comentar que Troian sofreu de anorexia durante sua vida e por isso teve a ideia do filme. A história é muito bem escrita e filmada. Eu fiquei apaixonada e recomendo muito que vocês assistam se tiverem a oportunidade. O filme tinha data para sair no Brasil mas não sei se saiu em algum cinema nas cidades por aí. De qualquer forma, você pode assistir pelo itunes!

Minha mãe é uma peça 2

Oi, vidaaaaas!
Eu adoro o Paulo Gustavo, por motivos, né? Ele é um amorzinho e vou usar a máxima de que queria que ele fosse meu amigo.
Eu me apaixonei por Minha Mãe é uma Peça e sou doida para ir na Peça de Teatro mesmo, mas ainda não deu. 🙁

Minha mãe, que também é uma peça, é outra apaixonada pelo filme e assim que soube que tinha saído veio correndo falar para assistirmos. E a gente foi. Já tem algum tempo, mas é que os meus posts seguem um cronograma e só caiu para falar desse filme neste dia lindo de hoje. (BTW, o mundo não acabou ontem).

Como era de se esperar o filme é engraçado DEMAIS! Eu acho mais graça nas coisas do dia-a-dia. Aquelas que eu consigo fazer ligação com a minha própria vida. E ele retrata muito bem o que são as mães. E escancara os melhores bordões que nossas lindas mães trazem consigo.

Tive algumas cenas preferidas nesse filme. Mas a que eu mais ri foi a da tampa do pote. Que mãe que nunca arrumou barraco por causa de um tapperwear, né non?
O trailer do filme está abaixo. Quem ainda não assistiu, ASSISTA!

Beijos

Inferno: O filme

Oi pessoas!
Quem acompanha o blog já deve ter percebido que eu sou fã do Robert Langdon – personagem do Dan Brown. Bem, eu assisti ao Código da Vinci antes de ler o livro e gostei bastante. Também gostei de Anjos e Demônios. Achei que, apesar de uma diferença aqui e ali, os filmes tinham bastante relação com os livros.

Resenhas dos livros:

Aí rolaram uns papos de que Inferno era meio nada a ver com nada da história do livro. Fui assistir para poder descobrir, não dá pra acreditar nos outros facil assim, não é?
Mas aí, todo mundo tinha razão. O que fizeram com a história do Dan Brown?
É complicado falar mais coisas porque vai ter muito spoiler, porque especialmente o fantástico fim do livro foi totalmente ignorado no filme.

Durante a trama outras coisas são distorcidas e ficou tudo meio sem nexo. Eu, como li o livro, acabaei entendendo um pouco. Mas quem só viu o filme deve ter ficado perdido. Eu acho pelo menos.
Quem mais assistiu? Acharam o que? Gostaram? Eu ainda não achei ninguém que tenha gostado, rs.

Beijos

Créditos de Imagem