House of Cards – My turn!

Bem, mais uma temporada de House of Cards foi liberada pela Netflix e mais uma vez eu fiquei com o queixo no chão. Confesso que eu estava meio desanimada quando comecei porque ainda estava naquela de quem vai ganhar eleição blábláblá. E eu fico meio com vergonha alheia – não sei explicar – e não consigo assistir direito. Mas aí, essa parte passou e foi maratona de felicidade. Aconteceu tanta coisa que eu sinceramente fiquei CHOCADA!
Os personagens estão todos no limite e fazendo coisas que até Deus duvida, de verdade.

Acho que talvez essa temporada tenha sido a mais pesada, so far. E tá rolando uma inversão de papéis e o final foi meio a conclusão do que estava sendo proposto desde a temporada anterior: Claire tomando as rédeas. Eu acho que em termos de política ela é bem melhor que o Frank, porque ela tem mais visão. Contudo, isso ainda vai ser uma luta por poder. Frank apresentou ideias neoliberais porque ele começou a achar que a casa Branca estava deixando ele engessado. Temos que esperar os próximos episódios, se é que existiram [tá rolando um papo que House of Cards tá ameaçada na Netflix]. Espero que sim.

O casal XX tem feito cada dia mais inimigos e cometido mais crimes. Tem muita gente tentando chegar neles, mas será que vão conseguir?

Beijos, crianças!

unBreakABLE Kimmy Schmidt

A Netflix lançou mais uma temporada dessa série SENSAÇÃO da despreocupação de vida. Não tem apego político, emocional, dor de corno é só riso e felicidade. MESMO!

Nessa terceira temporada, Kimmy, resolve que quer ir para a faculdade. Para saber qual curso seguir ela faz um teste vocacional que afirma que ela deve ser guarda de trânsito. Por motivos que eu não sei, ou melhor, por ser a Kimmy, ela vai até uma universidade pública próxima e procura por esse curso lá. Ok, né?

Não é surpresa para todos nós que tal curso não existe, mas é isso que leva a temporada toda a frente com incríveis 13 episódios. Não posso esquecer do FENÔMENO Titus que faz a série ser tão divertida com seu egoísmo e caras e bocas.

Para quem ainda não assistiu, corre que tá tudo na Netflix.

Beijos!

Santa Clarita Diet

Mas o quê?
Eu adoro uma sátira, as bem feitas, claro. Gosto muito de Scream Queens, vocês já sabem. Mas não foi por isso que resolvi assistir Santa Clarita Diet. Fui assistir porque apareceu como novidade na Netflix e eu sou desocupada. hahahahah

Sinopse: “Sheila (Drew Barrymore) e Joel (Timothy Olyphant) são dois corretores de imóveis que compartilham muito mais do que a mesma profissão. Casados e com uma filha adolescente, eles estão descontentes com a vida que levam em Santa Clarita, no subúrbio de Los Angeles. O destino deles começa a mudar quando Sheila passa por uma mudança radical.”

Essa mudança radical comentada na sinopse é que ela começa a comer pessoas. Tipo, matar e comer. Meio louco, né? Mas tem toda uma explicação que tá sendo formulada. No fundo, é uma sátira a esse mundo de séries zumbis que a gente vê por aí. Só que de uma forma bem diferente e muito mais legal. rs Eu gostei muito da temporada toda, mesmo. Só o último episódio que ficou meio descontextualizado do resto, na minha opinião pelo menos.

Assiste lá e me conta. :*

Desventuras em Série

Oi, pessoas!
Hoje vim falar dessa série que é tudo de não amor. hahahah
Apesar das várias “dicas” datas tanto pela editora quanto pela própria Netflix que era melhor não ler/assistir eu sou vida loka e assisti SIM!

Sinopse

“Os órfãos Baudelaire são três irmãos muito inteligentes; Violet é a mais velha, Klaus é o irmão do meio e Sunny é a mais nova, com três anos. Quando seus pais morrem, eles passam a morar com diferentes tutores, e o primeiro é Conde Olaf, que irá tentar roubar a enorme herança deixada pelos pais.”

É legal demais, vamos ser honestos. A série é derivada de uma série de livros (13 ao todo) que contam a história dos orfãos Baudelaires.

Eu não me recordo de ter assistido ao filme inteiro ou a todos os filmes. Mas amei a série e cada um de seus oito episódios. Tá muito bem produzida e os atores são FANTÁSTICO. Incluindo a neném. E nem vou entrar no mérito do Neil Patrick Harris, melhor Conde Olaf EVER!
A série tá linda e maravilhosa lá na Netflix só esperando por você.

ASSISTAAAA!

UnBreakable Kimmy Schimt

Final de ano foi minha fase sem séries, vocês sabem, né?
Vasculhei o Netflix e apareceu essa série.
A história é sem pé nem cabeça, então se você está procurando histórias cult não aperte o play, rs.


Kimmy ficou presa por 15 anos em um banquer. É meio complicado de entender se ela foi sequestrada, se entrou porque quis, mas a questão é que ela foi obrigada a ficar lá por 15 anos por um cara que se dizia pastor. Ele afirmava que o mundo iria acabar e estava salvando Kimmy para que no futuro – quando tudo melhorasse – eles pudessem viver na terra. A questão é o mundo nunca acabou, e ele sabia disso, e ela ficou presa esse tempo todo lá com mais três outras mulheres.

A história começa quando elas são resgatadas. E ai vai contando como é a adaptação dela ao mundo atual. Muita coisa aconteceu entre 1999 e 2014. MUITO MUDOU! E ela agora é uma adulta de 30 anos e não sabe se comportar como tal. É muito engraçado e bobalhão. Vale a pena assistir!

A série vai estrear a terceira tempora nesse ano de 2017.

Créditos de Imagem

The OA

The OA é mais uma das séries que eu comecei a assistir porque não tinha nada para fazer. Eu sofro de tédio. Não posso ficar cinco segundos sem ocupação, sério. Então tempo livre é um inferno para mim. Em um caso desses abri Netflix como quem não quer nada, só para ver. Tinham coisas novas e The OA – que eu já tinha visto um trailer em algum lugar e comentado com terceiros que parecia ser legal.

Resolvi dar play, né mores? Que custa? É o sogro que paga mesmo. hahahahaha

Pela sinopse eu estava esperando uma coisa. E não foi bem o que eu esperava, foi um treco muito louco. HAHAHAH Sério. Até o quinto episódio (de oito) eu estava meio perdida e com cara de dúvida. “Mas Braseeeel, que tá acontecendo?” E a realidade é que ainda não sei bem. Tem um milhão de teorias a respeito e eu concordo com uma ou outra.

Resumindo a ideia da série:

Prairie, menina cega, sumiu da noite para o dia. Ninguém achava essa mulher. Pelo o que eu entendi, ela tinha uns 20 anos quando sumiu. E ela apareceu 7 anos depois DO NADA! E ela estava tentando se jogar de uma ponte. ISSO MESMO! Só que o twist é que ela volta enxergando e fica todo mundo bolado. Pra ter graça, ela não chega contando o que aconteceu, né? Eu não podia ser amiga dela porque ia me aborrecer. Eis que ela reune uma galera da vizinhança para contar a história de vida para eles e pra gente. É isso. Tem uns ideias de outras dimensões, de anjos, de hospício e por ai vai. Ainda não estou certa a respeito.

Assiste lá e me conta.

Beijos!