Pretty Little Liars #TheEndGAme

Acabou! 🙁

Para mim não foram sete anos porque eu comecei a assistir depois. Acho que lá em 2012. E desde o primeiro episódio eu me envolvi e não conseguia parar de assistir. Mesmo quando ficou meio bleh e repetitivo e eu não aguentava mais, eu nunca fiquei com episódio atrasado. Eu sei que é ridículo falar isso e quem não acompanha série nenhuma vai achar até triste, mas eu me sentia parte daquilo. A gente acaba se envolvendo. Durante esses anos eu chorei muitas vezes com Pretty Little Liars. Mas o episódio duplo final foi o cúmulo da choradeira.

Esta é uma série do improvável. É tudo tão possível e ao mesmo tempo surreal. Amizades estranhas, seres humanos escrotos, relações sexuais esdruxúlas e uma sensação de familiaridade enorme. Isso é PLL. Os fãs são loucos, fazem milhares de teorias e os que não fazem, as lêem, assistem e opinam. A gente torce, shipa, se despera, quer matar a Marlene e ao mesmo tempo dar uma abraço nela. Eu acompanho atualmente 23 séries e nenhuma tem essa familia que PLL tem. Esse envolvimento, esse amor.

Spoiler Alert. 

As meninas foram assombradas durante as 7 temporadas por alguém. No começo era Mona, depois era Charlotte – numa história que meio que não convenceu – e por fim, AD. A família Drake estava crescendo cada dia mais e os fãs no fundo acreditavam que o D, era de Drake. Mas quem era esse novo membro familiar? Para mim? Melissa Hastings. Para a maioria? Wren. Para a produção da serie? Alex. Desde que Hannah ficou presa na 6B e Spencer apareceu para ela no cativeiro, no que pareceu um sonho, e falou pela primeira vez em AD; os fãs estavam começando a achar que Spencer era Uber A. Mais para frente – numa série em que tem gêmeos a rodo – a ideia de Twincer surgiu e colou. E fazia tanto sentido. Especialmente depois de uma estranha cena entre Spencer e Wren no aeroporto. Estava na cara! ESFREGARAM na nossa cara, mas a gente queria que AD fosse outra pessoa. Depois de ter assistido as quase 2 horas de episódio final, eu não sei o porquê. Foi fantástico.

A Troian abraçou essa série. E gente, se você não assistiu e não quer assistir, veja só o último episódio. Você vai entender o que eu estou falando. A canadense fez uma inglesa perfeita! No susto. E ela mereceu muito ter esse destaque final. Ela mais do que nenhuma outra. Alex Drake é irmã gêmea de Spencer. Elas são filhas de Mary Drake com Peter Hastings – esse homem é pai de todo mundo, rs. Spencer foi dada a Verônica e Alex vendida para que Mary conseguisse sair de Radley.  Uma loucura. Wren encontrou Alex na Inglaterra e cntou sobre sua sósia. Foi aí que ela descobriu sua história e virou BFF de Charlotte e acabou “herdando” o jogo quando Charlotte morreu. No final, Alex queria a vida de Spencer. Ela queria Toby e aquela amizade surreal das meninas. Mas é claro que não rolou.

Acho que já falei muito. Eu chorei assistindo, estou chorando escrevendo porque eu vou sentir falta para caralho.

Beijos!

Grimm – Acabou.

Ai, acabou essa série tão amor que é uma das poucas que eu comecei a assistir quando saiu mesmo.
Grimm teve seis temporadas. Para quem não sabe do que se trata a história, pode ver aqui.

Eu gostava bastante, mas acho que concluíram a série bem. No momento certo e do jeito certo. Durante esses seis anos foram muitas reviravoltas, ao ponto do principal ter um filho com sua pior inimiga. Na época, eu fiquei meio assim porque era muito estranho, porém, agora acho que eles são um dos melhores casais que eu acompanho na ficção.
Além de tudo a série ainda teve uma conclusão futura, com as crianças que nasceram durante o processo, ou seja, um enorme amor, mesmo!

São muitas coisas misturadas ao longo da história, Grimms, monstros, chaves, famílias reais, reis do Inferno de outras dimensões, várias línguas diferentes e por aí vai.

Assistam!
Beijos

Person of Interest is over!?!

Braseeel, sociedade!

Eu gosto muito dessa série e fiquei meio assim quando soube do cancelamento. Na realidade nem tão assim. Pq a série não voltou no ano passado. Tipo, simplesmente sumiu. Ai, do nada, eles resolveram voltar e acabou-se o que doce.
Se você não sabe do que se trata, leia aqui.

Eu assisti ao décimo terceiro da quinta temporada como se fosse um episódio qualquer e tenho que confessar que quando terminou fiz poker face. Fiquei sem entender como que eles dariam prosseguimento a série. Pois bem, não dariam. ~lágrimas~. Só um adendo, pareceu que o próprio George R.R. Martin escreveu essa última temporada, porque AMIGOS!

Mas até que foi legal! Sentirei falta.
Beijos
Créditos de Imagem

Everwood!

Pessoal, o que é essa série? Eu comecei a ver quando ela foi lançada em 2002, na época no SBT. Mas não terminei de ver nem a primeira temporada. Agora depois de velha resolvi voltar a assistir e de início tive as mesmas emoções que antes. 
Sobre o que que é?
Bem, o Dr. Brown perde a esposa e resolve ir para o único lugar que ela disse amar a vida inteira, Everwood uma cidadezinha no interior do interior dos EUA – não lembro o estado, rs. Claro que o filho mais velho, Ephran com quem ele tinha uma relação horrorosa não queria largar sua vida em Nova Iorque mas acaba indo porque não tem jeito. 
Em Everwood o médico abre uma clínica gratuita na cidade o que causa vários problemas de início, com o Dr. Abbot que é o atual e único médico da cidadezinha. Na escola Ephran se apaixona por Amy que tem um namorado em coma e acredita que Andy Brown seja a salvação de Colin. E a história vai se baseando nisso ai e muita coisa acontece. São lindas quatro temporadas e foi meu primeiro encontro com Emily VanCamp que depois seria minha querida Emily Torne de Revenge. 
Em muitos momentos nessas temporadas eu odiei cada um dos personagens, porque olha, gente difícil. Mas gostei e me identifiquei com eles também. Everwood é uma dessas séries para todos! Recomendo muito. 
Beijos

Men at Work

Mais uma série que eu gosto que foi cancelada.
Essa é uma das séries rapidinhas. Menos de 30 minutos. Ideal para assistir no almoço. 🙂
Foram lindas e fofas três temporadas.

A sitcom conta a vida de quatro homens na casa dos trinta, que trabalham em um mesmo escritório de uma revista. Três são jornalistas e Gibbs é fotografo. Existe uma competição velada entre Gibbs e Tyler a respeito de quem é mais bonito e quem pega mais mulheres. Neal namora a filha do chefe deles, que não tem qualquer respeito por eles. E Milo leva uma série de pés na bunda. Digamos que ele é o estranho da história. É uma série bem legal e que garante algumas risadas! 

Crédito de foto: Google Imagens

The Mentalist

Tem gente que entra na nossa vida e acaba passando em branco, ou apenas causando mais males do que bem, não é mesmo? Porém, acredito que sempre há a possibilidade de se arrancar alguma coisa boa. E no meu caso, com uma pessoa em especial, foi The Mentalist.
Eu já conhecia a série mas nunca tinha parado para assistir. Ok. Assisti TUDO! hahaha

Patrick Jane é um picareta que se passa por vidente. Na real ele apenas lê as pessoas e consegue ‘adivinhar’ a respeito delas. Nada demais, certo? Até que belo dia ele resolve comentar na TV sobre Red Jonh, um assassino em série. Jane se surpreende quando chega em casa após o show de TV e encontra sua mulher e filha mortas pelo tal do Red Jonh. Esse fato da início a série que é uma caçada pessoal de Patrick. Ele entra para o CBI – California Boureau of Investigation – como consultor. E tem um método exótico de trabalho que deixa a todos um pouco irritados. Mas a questão é que pelo fato de conseguir ler as pessoas, ele desvenda todos os crimes. 🙂 
Cheio de manias, apaixonado por chá e secretamente por Teresa Lisbon, Jane tem um sofá cativo no escritório do CBI e levou seis temporadas para descobrir quem era Red John. Foi muita surpresa para mim, e eu confesso que achava todo mundo suspeito. hahaha A série terminou em sua sétima temporada, com treze episódios. Eu MUITO recomendo! 
Beijos
Crédito de foto: Google Imagens