[Dicas] Arraial do Cabo – Rio de Janeiro [2]

1 – Como ir e onde ficar?

Segundo post sobre Arraial

2 – Praias 

Prainha

Eu não sei ao certo quantas praias tem em Arraial, mas acredito ter ido em todas elas. hahahah A Prainha, a Praia Grande e a Praia do Forno são acessíveis a pé. Para chegar a Praia do Forno é preciso subir e descer uma escada. Eles chamam de trilha, mas sinceramente? Não acho que se enquadra. Os MUITO sedentários vão reclamar mas é papo de 5 minutos. Não seja esse chato! A Praia Grande tem 40km de extensão – SURREAL – é bem legal para ver o pôr do sol, porque o sol se põe na água. Super vale a pena. Mas para entrar, só os muito corajosos. Eu frequento cachoeiras em Petrópolis, já fui em poço em Ilha Grande no inverno, mas Brasil! Não dá pra entrar naquela água. É hipotermia certa. hahahah

Praia da Reserva – OLHA ESSA ÁGUA!

Para ir até as Prainhas do Pontal do Atalaia e na Praia da Reserva há a possibilidade de ir de barco – fui assim. E a primeira você pode ir de carro ou com algum outro veículo motorizado. É preciso fazer um caminho de cerca de 4km para chegar até ela e descer uma escadaria de madeira. Entre as Prainhas do Pontal tem a Praia Brava que é boa para surfistas – não é meu caso.

Praia do Forno

Todas elas contam com uma água ridícula de transparente. Sério é uma beleza surreal!

Bem, Flávia Alessandra e Eu na Praia Grande.

Tem a Praia da Gracinha que chegamos através de uma trilhazinha saindo da Prainha. Tá ali do lado direito da foto abaixo. Quando a foto foi tirada a maré já tinha subido e a praia que é  bem pequena, já tinha sumido. Quem quiser pode ir lá, mas tem que ir cedo.

Meio do caminho da trilha saindo da Prainha.
Pôr do Sol visto do Mirante da Praia Grande

Mais sobre Arraial:

3 – O que fazer?

4 – Onde comer?

[Dicas] Arraial do Cabo – Rio de Janeiro [1]

Olá pessoas!

No post dica de hoje – que na verdade são 4 posts – vou falar um pouquinho sobre essa cidade que tem as praias mais bonitas que eu já vi. E mesmo quem não é pouco viajado, tipo eu, vai concordar que elas são lindas mesmo!

 

Eu já tinha ido a Arraial, mas não na cidade mesmo. Deixa eu explicar hahahah Eu fui em Monte Alto que é tipo um distrito de Arraial e lá tem ondas enormes e eu nunca entrei na água por motivos de: não sei nadar! Decidimos viajar meio que de supetão conforme apareceram as férias do Bem, porque eu trabalho com educação então julho é férias mesmo. Eu já estava doida para ir em Arraial então fomos para lá.

1 – Como ir e onde ficar?

Antes de viajar para qualquer lugar, procuramos o lugar onde ficar, né amores? Tem alguns hotéis e muitas pousadas e hostels na cidade. E há também quem fique em Cabo Frio e vá  para Arraial durante o dia, são cerca de 17km de distância apenas. Preferimos ficar em Arraial mesmo. Bem procurou no booking.com e eu no Groupon porque sou mão de vaca, hahahah. Achamos algumas pousadas legais e escolhemos a Lymar. De cara liguei para lá para saber a disponibilidade e o seu Gerson foi super solícito. Aqui cabe comentar para você dar uma olhada no google street view para ver direitinho onde a pousada fica. Estavamos em dúvida com uma outra pousada que ficava literalmente no meio do nada. O que não é legal para quem não está de carro. Outra coisa importante em relação a deslocamento quando chegar a Arraial, a cidade sofre um processo de favelização bem grande, e você vai ver comentários maldosos a respeito por aí. Não tivemos nenhum problema, mas procuramos passar por lugares amistosos. Tomem cuidado com o Google Maps, porque ele escolhe sempre o menor trajeto, que pode não ser o melhor caminho.

Nós fomos de ônibus porque Arraial não fica tão longe assim e porque não dava para ir de carro mesmo, rs. Lá da super para andar a pé, as coisas são bem perto. A Pousada Lymar fica praticamente em frente a Prainha – primeira praia que você vai ver quando chegar a Arraial – do nosso quarto dava para ver o mar. Eles oferecem um café da manhã bastante razoável e os donos e as funcionárias são bem simpáticos. Para quem tiver interesse eles alugam bicicletas e tal. Para quem quiser ir de carro, algumas pousadas tem estacionamento ou você pode pagar algum lugar por fora para deixar o carro. Se informe antes.

PS: Tá caro em tudo quanto é lugar, mas a gasolina lá é mais cara ainda, abasteça na estrada.

Mais sobre Arraial:

2 – Praias

3 – O que fazer?

4 – Onde comer?

 

#MLI2017: Perversas – Sarah Sheppard

Segundo livro da MLI2017 e quinto livro da série Pretty Little Liars lido! YAAAY!

Eu gostei bastante desse livro, talvez seja meu favorito até agora.

Sinopse

“No livro anterior elas descobriram que é a A, porém uma nova A chega para deixar essas meninas – Aria, Hanna, Spencer e Emily – muito mais assustadas do que elas já estão. Porém, quem pode saber se essa A é a verdadeira? Por que, depois que todo mundo sabe sobre a situação das garotas, todos querem mandar mensagens dizendo que sabem seus segredos, mas tudo é completamente mentira. Infelizmente para as Lindas Garotas do Rosewood, essa nova A não está para brincadeiras e vai fazer de tudo para que as meninas fiquem ainda com mais medo do que pode vir à ocorrer com elas.” 

Créditos: Skoob

Minhas Impressões

Como comentei anteriormente, esse é o livro que eu mais gostei da série. Pela primeira vez entendi como surgiu a amizade pouco provável entre as meninas, afinal elas são completamente diferentes e Alison era super popular, diferente de Ária, por exemplo. Mas acontecem muitas outras coisas. Spencer está acreditando na possibilidade de ser adotada depois que sua avó a desertou. Ária está em uma péssima com o novo namorado da mãe está dando em cima dela e ela tem medo de contar a Ella e ser expulsa de casa. Emily está com mais dúvidas em relação a sua sexualidade, agora que está namorando um menino. Hannah está sofrendo com as paranóias de ter tido uma amiga que era A, Mona, e não confia em mais ninguém; ou será que ela está certa em não acreditar na súbita amizade de Kate? Tudo isso rola no livro e você fica ligado e doido para saber o que vai acontecer na sequência. E é claro que como todo bom livro da sequência, tem mortes! #Descubra Deu pra ver que eu adorei, né? Repetindo isso pela enésima vez hahaha

Leiam!

Minha versão é ebook.

Páginas: 328
Ano: 2011
Editora: Rocco
Avaliação:

#MLI2017: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban – J.K. Rowling

Eis que o primeiro livro que eu termino nessa MLI foi Harry Potter 3. Para saber mais sobre o vou ler na MLI2017, clique aqui. Estou enrolando faz tempo para ler esse livro porque estou com pouco tempo disponível. Mas aos poucos colocarei meus projetos de escrita e leitura em dia.

Sinopse

“Durante 12 longos anos, a assustadora fortaleza de Azkaban manteve prisioneiro o bruxo Sirius Black. Condenado pelo assassinato de 13 pessoas com um só feitiço, alguns acreditam que Black seja o mais fiel dos seguidores d’Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado. Agora ele fugiu da prisão. E os guardas da prisão disseram que Black andara repetindo a seguinte frase durante o sono “Ele está em Hogwarts… ele está em Hogwarts.” Será que o perigoso bruxo esta vindo atras de Harry?

Seja como for, Harry não está seguro, nem mesmo dentro de sua escola de magia, cercado por seus amigos. Principalmente porque, para piorar as coisas, pode haver um traidor entre as pessoas que o cercam”

Minhas impressões

Eu já tinha visto os filmes de HP antes de começar a ler, e bem, o filme baseado nesse livro é o meu favorito!  E eu adorei o livro também. O livro, como os outros da série, apresenta grande parte do cotidiano das crianças (Harry, Rony  e Hermione) em sua escola mágina Hogwarts. Desta vez eles precisam conciliar seu dia a dia com dementadores – terríveis criaturas que sugam a alegria das pessoas – e com um fugitivo que deseja matar Harry. Eu não tive muitas surpresas porque o filme é bem fiel, o que é uma pena. Não a fidelidade, mas o fato de eu ter assistido ao filme primeiro. Eu estou adorando acompanhar a história do Harry Potter através dos livros muito bem escritos pela querida J.K. ~intima.

Minha edição é o box amor da Rocco – vide foto!

Autor(a): J.K. Rowling
Páginas: 318
Ano: 2015
Editora: Rocco
Avaliação:

Beijos!

Maratona Literária de Inverno 2017

Mais um inverno chega e mais uma vez eu entro na #MLI. Espero que esse ano seja igual 2015 e meu desempenho seja ótimo. Essa MLI vai de 16 até 30/07!
Esse ano há a possibilidade de escolher entre 3 categorias:

:: FÁCIL ::

Ler um livro com a capa azul
Ler um livro com menos de 200 páginas
Ler um livro que você comprou pela capa

:: INTERMEDIÁRIO ::

Ler um livro escrito por uma mulher
Ler um livro sem saber a sinopse, ou do que se trata
Ler um livro nacional

:: HARDCORE ::

Ler um livro que se passe em um período histórico importante
Ler um livro com pontuação no título
Ler um livro que é muito criticado ou que alguém não gostou

Eu estou me arriscando com o nível Intermediário, porque sinceramente, acho que nem vai dar, especialmente porque eu vou estar viajando. Mas a gente tenta. hahahah

MINHA TBR

Ler um livro com a capa azul: Harry Potter e o Prizioneiro de Azkaban
Ler um livro com menos de 200 páginas: Crônicas de uma morte anunciada
Ler um livro que você comprou pela capa: O Gigante Enterrado
Ler um livro escrito por uma mulher: Perversas
Ler um livro sem saber a sinopse, ou do que se trata: Crônicas de Uma morte Anunciada
Ler um livro nacional: Paraíso Perdido

Como não tem problema repetir livro em duas categorias diferentes, vou acabar lendo 5. São 1.779 páginas! 😮 #Oremos.

Se você quiser participar da MLI2017 veja as regras aqui

 

Pretty Little Liars #TheEndGAme

Acabou! 🙁

Para mim não foram sete anos porque eu comecei a assistir depois. Acho que lá em 2012. E desde o primeiro episódio eu me envolvi e não conseguia parar de assistir. Mesmo quando ficou meio bleh e repetitivo e eu não aguentava mais, eu nunca fiquei com episódio atrasado. Eu sei que é ridículo falar isso e quem não acompanha série nenhuma vai achar até triste, mas eu me sentia parte daquilo. A gente acaba se envolvendo. Durante esses anos eu chorei muitas vezes com Pretty Little Liars. Mas o episódio duplo final foi o cúmulo da choradeira.

Esta é uma série do improvável. É tudo tão possível e ao mesmo tempo surreal. Amizades estranhas, seres humanos escrotos, relações sexuais esdruxúlas e uma sensação de familiaridade enorme. Isso é PLL. Os fãs são loucos, fazem milhares de teorias e os que não fazem, as lêem, assistem e opinam. A gente torce, shipa, se despera, quer matar a Marlene e ao mesmo tempo dar uma abraço nela. Eu acompanho atualmente 23 séries e nenhuma tem essa familia que PLL tem. Esse envolvimento, esse amor.

Spoiler Alert. 

As meninas foram assombradas durante as 7 temporadas por alguém. No começo era Mona, depois era Charlotte – numa história que meio que não convenceu – e por fim, AD. A família Drake estava crescendo cada dia mais e os fãs no fundo acreditavam que o D, era de Drake. Mas quem era esse novo membro familiar? Para mim? Melissa Hastings. Para a maioria? Wren. Para a produção da serie? Alex. Desde que Hannah ficou presa na 6B e Spencer apareceu para ela no cativeiro, no que pareceu um sonho, e falou pela primeira vez em AD; os fãs estavam começando a achar que Spencer era Uber A. Mais para frente – numa série em que tem gêmeos a rodo – a ideia de Twincer surgiu e colou. E fazia tanto sentido. Especialmente depois de uma estranha cena entre Spencer e Wren no aeroporto. Estava na cara! ESFREGARAM na nossa cara, mas a gente queria que AD fosse outra pessoa. Depois de ter assistido as quase 2 horas de episódio final, eu não sei o porquê. Foi fantástico.

A Troian abraçou essa série. E gente, se você não assistiu e não quer assistir, veja só o último episódio. Você vai entender o que eu estou falando. A canadense fez uma inglesa perfeita! No susto. E ela mereceu muito ter esse destaque final. Ela mais do que nenhuma outra. Alex Drake é irmã gêmea de Spencer. Elas são filhas de Mary Drake com Peter Hastings – esse homem é pai de todo mundo, rs. Spencer foi dada a Verônica e Alex vendida para que Mary conseguisse sair de Radley.  Uma loucura. Wren encontrou Alex na Inglaterra e cntou sobre sua sósia. Foi aí que ela descobriu sua história e virou BFF de Charlotte e acabou “herdando” o jogo quando Charlotte morreu. No final, Alex queria a vida de Spencer. Ela queria Toby e aquela amizade surreal das meninas. Mas é claro que não rolou.

Acho que já falei muito. Eu chorei assistindo, estou chorando escrevendo porque eu vou sentir falta para caralho.

Beijos!