#GIRLBOSS – Sophia Amoruso

Dias atrás eu vi um trailler de uma série nova que ia rolar na Netflix esse ano. A série era sobre como uma mulher começou vendendo peças de roupa no ebay e acabou com uma empresa avaliada em 100 milhões de dólares. História verídica, anotei na mente para assistir quando estreasse.

Uma semana passou, estava olhando o feed do facebook e apareceu uma postagem em um dos grupos literários que eu estou. Alguém falando de um tal livro #GirlBoss que era #lifechanging. Dei uma lida na sinopse e linkei com a série. “É a mesma história”. Perguntei no post à leitora se não era o livro que baseou uma série que ia estrear e tal. Ela me respondeu que achava que não. Como eu gosto de ter certeza, procurei no Google – podia ter feito isso ao invés de perguntar? Claro! Mas não fiz – e tcharam! Era mesmo o que eu estava pensando. Por razões que eu não sei explicar fiquei encafifada e quis ler o livro para ontem. Lembrando que eu tenho 300 livros para ler aqui em casa.

Achei o ebook em inglês e parti para cima dele mesmo.

Sobre o Livro

“Sophia Amoruso passou a adolescência viajando de carona, furtando em lojas e revirando caçambas de lixo. Aos 22 anos ela havia se conformado em ter um emprego, mas ainda estava sem grana, sem rumo e fazendo um trabalho medíocre que assumiu por causa do seguro-saúde. Foi aí que Sophia decidiu começar a vender roupas de brechó no eBay. Oito anos depois, ela é a fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja virtual de mais de 100 milhões de dólares, com mais de 350 funcionários. Além da história de Sophia, o livro cobre vários outros assuntos e prova que ser bem-sucedido não tem nada a ver com a sua popularidade; o sucesso tem mais a ver com confiar nos seus instintos e seguir a sua intuição. Uma história inspiradora para qualquer pessoa em busca do seu próprio caminho para o sucesso.”

Minhas impressões

Cara, vamos lá. Todas as reviews que eu vi desse livro deram 5 estrelas e falaram: ” MEU DEUS, mudou minha vida. Agora estou super bem e disposta a ganhar o mundo.” Parabéns. Eu apenas me senti mal. Vou contextualizar.
A Sophia escreve muito bem, como se tivesse conversando com a gente tomando uma cerveja. Só felicidade! Aí ela conta a história dela e de como ela nunca se enquadrou ao sistema de educação e tal. Ela coloca de um jeito muito poético “nem todo mundo é igual e vai achar o normal bom”. Beleza. Não discordo, mas também não é bem assim.
Na adolescencia ela estudava em casa e por isso começou a trabalhar em um monte de subempregos. Bacana, mas muito pouco possível no Brasil. Ela cagava pros empregos que tinha e que sempre acaba perdendo, tinha um sistema muito bom para roubar coisas e, pelo o que eu entendi, ia vivendo assim. Até que um belo dia, ela precisava de dinheiro, não tinha nenhum trabalho em vista e resolveu vender uma roupa no ebay.

Ela comprou uma roupa que era considerada ‘vintage’, escolheu o nome de Nasty Gal e colocou no ebay para vender num sistema de leilão. Deu certo. E ai, ela começou a comprar e vender mais coisas. Segundo ela, durante mais de um ano ela viveu para isso. LOUCAMENTE comprando e vendendo. Ela tinha um sistema muito bom porque sabia como vender as peças, se preocupava com a qualidade, aparência, se dedicava as fotos. Realmente ela fez um ótimo trabalho de modo que ela sobressaiu e conseguiu começar um negócio disso. Eu fiquei realmente impressionada. Esse papo rola até metade do livro onde ela fala onde chegou.

Depois, ela começa a dar conselhos sobre o que fazer e como se comportar e que tipo de pessoas elas não leva a sério, quem ela contrata ou deixa de contratar. Meio chato, até porque senti que foi mais do mesmo. “Faça isso, seja isso, não seja aquilo.” Teve uma parte que eu achei curiosa na qual ela diz que se chegar alguém para uma entrevista e essa pessoa fez cinco anos de estágio ela acha legal mas não contrata porque se a pessoa fez isso é porque não precisa trabalhar. Hein? Talvez seja diferente nos EUA, mas eu acho que se você está procurando um emprego é porque você PRECISA trabalhar. A maioria das pessoas trabalha por necessidade e não por diversão.

Um pouco antes ela diz que não acredita em sorte. Eu concordo que é ridiculo você dizer que ‘fulano conseguiu porque teve sorte’. Se fulano estivesse em casa dormindo ao invés de corres atrás a sorte não teria chegado. PORÉM, tem um mundo de gente que sempre correu atrás e que vai continuar correndo porque não consegue. Essas pessoas so tem azar? É muito dificil mensurar esse tipo de coisa.

Não me entendam mal, o livro é legal. Dá pra ler rápido e foi bacana saber da vida de uma pessoa que começou com 50 dólares e hoje tem 100 milhões. Mas isso foi com ela. Não vá correndo ler o livro acreditando que nele está uma receita mágica que fará você ser milionário daqui dois anos. É apenas sobre o que deu certo para ela. Ela começou assim e foi ótimo como também poderia ter sido péssimo. É muito bom ver uma mulher de sucesso porque nós sabemos que as coisas tendem a ser mais difíceis para nós.

No final do livro ela vem com um papo que todo mundo já sabe que aquilo serviu para ela e que 80% dos empreendedores falham. E isso não tem a ver com eles terem trabalhado mais ou menos. Ela também diz que não importa aonde você esteja é preciso se dedicar ao trabalho que você tem, mesmo que você não goste dele. Mas que você saiba onde quer chegar e faça de tudo para sair de onde você não está para onde você quer estar. Uma coisa que eu gostei e vou levar para mim é que ela diz que às vezes mentalizamos tanto que algo ruim vai acontecer que acabamos ‘conjurando’ aquilo. E eu acho que é bem assim para mim, eu estou sempre tão certa do pior – numa forma de defesa contra decepções – que acabo atraindo o que não é bom.

Foi isso tudo que eu achei do livro! Recomendo que vocês leiam e tiram suas próprias conclusões e espero que tirem pelo menos um ensinamentozinho de bom, igual eu tirei.

Beijos!

Autor(a): Sophia Amoruso
Páginas: 256
Ano: 2014
Editora: Penguin
Avaliação:

ATUALIZAÇÃO

Acabo de assistir a série, e chorei horrores! Teve muita coisa diferente do livro, mas a essência foi muito bem mantida. A série foi super bem produzida, como tudo o que a Netfliz faz, aliás! Não sei se vai ter segunda temporada mas ia ser uma ótima!

Minha mãe é uma peça 2

Oi, vidaaaaas!
Eu adoro o Paulo Gustavo, por motivos, né? Ele é um amorzinho e vou usar a máxima de que queria que ele fosse meu amigo.
Eu me apaixonei por Minha Mãe é uma Peça e sou doida para ir na Peça de Teatro mesmo, mas ainda não deu. 🙁

Minha mãe, que também é uma peça, é outra apaixonada pelo filme e assim que soube que tinha saído veio correndo falar para assistirmos. E a gente foi. Já tem algum tempo, mas é que os meus posts seguem um cronograma e só caiu para falar desse filme neste dia lindo de hoje. (BTW, o mundo não acabou ontem).

Como era de se esperar o filme é engraçado DEMAIS! Eu acho mais graça nas coisas do dia-a-dia. Aquelas que eu consigo fazer ligação com a minha própria vida. E ele retrata muito bem o que são as mães. E escancara os melhores bordões que nossas lindas mães trazem consigo.

Tive algumas cenas preferidas nesse filme. Mas a que eu mais ri foi a da tampa do pote. Que mãe que nunca arrumou barraco por causa de um tapperwear, né non?
O trailer do filme está abaixo. Quem ainda não assistiu, ASSISTA!

Beijos

Desventuras em Série

Oi, pessoas!
Hoje vim falar dessa série que é tudo de não amor. hahahah
Apesar das várias “dicas” datas tanto pela editora quanto pela própria Netflix que era melhor não ler/assistir eu sou vida loka e assisti SIM!

Sinopse

“Os órfãos Baudelaire são três irmãos muito inteligentes; Violet é a mais velha, Klaus é o irmão do meio e Sunny é a mais nova, com três anos. Quando seus pais morrem, eles passam a morar com diferentes tutores, e o primeiro é Conde Olaf, que irá tentar roubar a enorme herança deixada pelos pais.”

É legal demais, vamos ser honestos. A série é derivada de uma série de livros (13 ao todo) que contam a história dos orfãos Baudelaires.

Eu não me recordo de ter assistido ao filme inteiro ou a todos os filmes. Mas amei a série e cada um de seus oito episódios. Tá muito bem produzida e os atores são FANTÁSTICO. Incluindo a neném. E nem vou entrar no mérito do Neil Patrick Harris, melhor Conde Olaf EVER!
A série tá linda e maravilhosa lá na Netflix só esperando por você.

ASSISTAAAA!

Maldosas – Sarah Shepard

Oi, gente! Tudo bão?
Primeira resenha de livro de 2017. o/

Contextualizando: Eu estou participando de um projeto muito legal, da Caroline Sant do IG @garotadovlog em parceria com a editora Rocco. E que projeto é esse? É um clube do livro, na verdade. Estamos lendo os livros de Pretty Little Liars. E aí, tem sorteios para quem participa do grupo e tudo o mais, além de lives no facebook – que todo mundo pode participar. A Caroline também sorteia livros no ig dela, então, segue lá! E me segue também. hahahah @RaquelMattoso.

Sobre o livro

“Pretty Little Liars fala sobre a vida de quatro garotas — Spencer, Hanna, Aria e Emily — que acabam se “separando” depois do sumiço de sua líder, Alison. Três anos depois, elas começam a receber mensagens de texto e alguém que está assinando como “A” e ameaça a expor seus segredos — incluindo os mais secretos que elas achavam que somente Alison sabia.”

Minhas impressões

Todo mundo sabe que eu sou viciada na Série, né non? E eu meio que queria ler os livros mas acabei deixando de lado porque são muitos. Mas agora, vou acabar lendo. O primeiro livro (de 16) é Maldosas. E dá aquele gostinho inicial do que é PLL, conhecemos as personagens principais, suas bases familiares e afins, e claro, conhecemos A.

No livro, a gente tem uma clareza melhor sobre a personalidade das meninas. Coisa que não tem muito na série. Tem uma ou outra discrepância, mas nada alarmante. Acho que no livro as coisas acontecem de forma mais intensa que na série. Talvez porque seja mais fácil escrever sobre do que retratar, né? A leitura flui super bem e, mesmo eu já meio que sabendo da história, fiquei morrendo de vontade de ler mais. Em respeito ao Clube do Livro e para não me atropelar também, vou começar a ler Impecáveis só em fevereiro. Super recomendo essa leitura para quem assiste a série e até para quem nunca assistiu nada. Tenho certeza que vocês vão adorar.

Beijos!

A minha edição é ebook.

Autor(a): Sarah Sheppard
Páginas: 296
Ano: 2006
Editora: Rocco
Avaliação:

Inferno: O filme

Oi pessoas!
Quem acompanha o blog já deve ter percebido que eu sou fã do Robert Langdon – personagem do Dan Brown. Bem, eu assisti ao Código da Vinci antes de ler o livro e gostei bastante. Também gostei de Anjos e Demônios. Achei que, apesar de uma diferença aqui e ali, os filmes tinham bastante relação com os livros.

Resenhas dos livros:

Aí rolaram uns papos de que Inferno era meio nada a ver com nada da história do livro. Fui assistir para poder descobrir, não dá pra acreditar nos outros facil assim, não é?
Mas aí, todo mundo tinha razão. O que fizeram com a história do Dan Brown?
É complicado falar mais coisas porque vai ter muito spoiler, porque especialmente o fantástico fim do livro foi totalmente ignorado no filme.

Durante a trama outras coisas são distorcidas e ficou tudo meio sem nexo. Eu, como li o livro, acabaei entendendo um pouco. Mas quem só viu o filme deve ter ficado perdido. Eu acho pelo menos.
Quem mais assistiu? Acharam o que? Gostaram? Eu ainda não achei ninguém que tenha gostado, rs.

Beijos

Créditos de Imagem

UnBreakable Kimmy Schimt

Final de ano foi minha fase sem séries, vocês sabem, né?
Vasculhei o Netflix e apareceu essa série.
A história é sem pé nem cabeça, então se você está procurando histórias cult não aperte o play, rs.


Kimmy ficou presa por 15 anos em um banquer. É meio complicado de entender se ela foi sequestrada, se entrou porque quis, mas a questão é que ela foi obrigada a ficar lá por 15 anos por um cara que se dizia pastor. Ele afirmava que o mundo iria acabar e estava salvando Kimmy para que no futuro – quando tudo melhorasse – eles pudessem viver na terra. A questão é o mundo nunca acabou, e ele sabia disso, e ela ficou presa esse tempo todo lá com mais três outras mulheres.

A história começa quando elas são resgatadas. E ai vai contando como é a adaptação dela ao mundo atual. Muita coisa aconteceu entre 1999 e 2014. MUITO MUDOU! E ela agora é uma adulta de 30 anos e não sabe se comportar como tal. É muito engraçado e bobalhão. Vale a pena assistir!

A série vai estrear a terceira tempora nesse ano de 2017.

Créditos de Imagem